1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE
K2_DISPLAYING_ITEMS_BY_TAG estupro

Três funcionários de uma empresa foram presos pela Polícia Civil por participarem de um esquema de furto de frango congelado, em Trindade, região metropolitana de Goiânia. Os três atuavam como motorista, gerente e estoquista da companhia e levaram 4 mil kg em frangos. Um empresário também foi preso na terça-feira (2), em Goiânia, por fazer parte do esquema.

 

Segundo a polícia, o estoquista separava os frangos comprados por clientes e adicionava 10% a mais no peso original vendido. Depois, o gerente conferia o peso, aprovava a mercadoria e autorizava o carregamento. Então, entrava em ação o motorista que entregava os frangos para receptadores por preços abaixo daqueles comercializados pela indústria.

 

Já o empresário negociava o preço dos frangos com os clientes. O esquema durou cerca de um ano e o prejuízo causado na empresa é de R$ 2 milhões.

 

O crime foi descoberto após um cliente denunciar que o empresário vendia os frangos com preços abaixo do mercado. Os quatro seguem presos e, caso condenados, podem pegar até 12 anos de reclusão pelos crimes de associação criminosa e receptação qualificada.

 

Mais Goiás

K2_PUBLISHED_IN Estado

Nesta última segunda-feira (1) compareceu o Conselho Tutelar, na delegacia da Polícia Cívil, informando que o Conselho fora acionado após informação de estupro de vúlneravel. 

 

Segundo o Boletim de Polícia, uma menor de idade com quatorze anos teria sido engravidada pelo próprio irmão que também é menor de idade.

 

O caso foi registrado para as providência cabíveis. 

 

Jornalismo Rádio Eldorado

K2_PUBLISHED_IN Mineiros

Goiás registrou 40 abortos legalizados realizados por vítimas de estupro na rede pública estadual desde 2021, de acordo com dados divulgados pelo Hospital Estadual da Mulher (Hemu), em Goiânia. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SES-GO), o hospital é único da rede pública a fazer o procedimento legalizado no estado.

 

Segundo o Hemu, ao todo, contando com os casos decorrentes de violência sexual, foram realizados 48 procedimentos na rede estadual desde o início de 2021. Destes, 18 ocorreram este ano em pacientes com idades entre 11 e 39 anos. No entanto, a maior parte tinha de 20 e 35 anos.

 

No hospital, o procedimento é oferecido desde 2005. O g1 solicitou os dados dos procedimentos realizados anteriormente, mas a instituição não divulgou.

 

De acordo com a instituição, na rede pública, o aborto legalizado é feito seguindo as instruções da portaria nº 2.561, do Ministério da Saúde, que foi publicada em 23 de setembro de 2020.

 

O aborto legal é oferecido de forma gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e é permitido em três casos, de acordo com a legislação brasileira:

 

Gravidez decorrente de estupro;

Com risco à vida da gestante;

Quando há diagnóstico de anencefalia do feto.

 

No Hemu, a médica especialista em medicina do adolescente e coordenadora do ambulatório de apoio à vitima de violência sexual, Marce Divina de Paula, explica que as mulheres chegam até o hospital em busca do procedimento por "livre demanda" OU por encaminhamento.

 

"Pelo Código Penal Brasileiro, se exige apenas a vontade da mulher. Não se diz que precisa se ordem judicial e nem que precisa de um defensor. O código exige que se respeite a vontade da pessoa", diz Marce.

 

Atendimento

 

De acordo com a médica Marce Divina, quando uma mulher dá entrada no Ambulatório de Apoio à Vítima de Violência Sexual para a realização do procedimento, ela é atendida por uma equipe multiprofissional, que conta com médicos, psicólogos e assistentes sociais.

 

"Ela é recebida por uma enfermeira, consulta com um médico e expressa o que ela deseja fazer. A assistência é integral, já que a violência não causa dano apenas ao corpo", explica a coordenadora do ambulatório.

 

O próximo passo após a triagem é preencher o protocolo previsto na portaria do Ministério da Saúde, que deve ser assinado e aprovado por pelo menos três profissionais e pela diretoria técnica do hospital.

 

Marce explica que a aprovação do procedimento é comunicada à paciente durante uma etapa de entrevista, onde ela assina um termo de consentimento de riscos. Logo depois, são iniciados os protocolos para internação.

 

O que é necessário?

 

No único hospital da rede pública de Goiás que realiza o aborto legal são definidos os seguintes critérios para a realização do procedimento, conforme o que diz a legislação brasileira:

 

Mulheres com mais de 18 anos podem ser atendidas sem a necessidade de terem registrado boletim de ocorrência, em casos de estupro, bastando o relato à equipe médica;

Em casos de abusos sexuais, para menores de 18 anos, é obrigatório ter boletim de ocorrência;

Menores de idade ou pessoas com déficit cognitivo precisam da autorização de um responsável legal;

Nos casos de gravidez de risco e anencefalia, é necessário laudo médico que comprove a situação.

 

G1 Goiás

K2_PUBLISHED_IN Estado

Nesta terça-feira (24) duas crianças de 11 anos de idade de uma escola particular de Mineiros relataram terem sofrido estupro de vúlnerável por parte de um funcionário da escola.

 

As crianças eram conhecidas do autor e em determinado momento, no recreio da escola, em um momento de brincadeira, o autor teria colocado a mão no interior da calça de uma das crianças, inclusive teria insistido; já na outra criança que estava próxima ele teria tocado na coxa e nas nádegas da vítima.

 

Logo após as crianças resistente ao ato teriam procurado a coordenação da escola que agiu imediatamente acionando a polícia militar.

 

O funcionário confessou o ocorrido e que teria se arrependido, porém o crime para esse tipo de acontecimento é grave, principalmente por estar vinculado a dignidade sexual e á criança.

 

Em ato continuo o autor foi apresentado a delegacia, as vítimas confirmaram o crime e foi dado voz de prisão, sendo preso em flagrante delito. 

 

O delegado Dr Júlio Cesar Arana fala sobre este caso:

K2_PUBLISHED_IN Mineiros

Nesta quarta-feira (11), os policiais militares tomaram conhecimento de um possível estupro de vulnerável. Confirmado o fato, de posse das características do indivíduo, a equipe realizou diligências e conseguiu localizar o suspeito em menos de 30 minutos.

 

Foi dada voz de prisão ao suspeito de 22 anos, com antecedentes criminais por:

 

 Posse de Drogas (2x).

 

Diante dos fatos, o autor e objetos utilizados foram apresentados a delegacia local para demais procedimentos.

 

PMGO: A segurança de Goiás!

K2_PUBLISHED_IN Região

Um ex-padre, 56, condenado por estupro de vulnerável foi preso nesta quarta-feira (27) em Quirinópolis. De acordo com a Polícia Civil, ele dopou e estuprou dependente químico dentro de uma clínica de reabilitação no mencionado município. Crime ocorreu em 2014, quando a vítima tinha 25 anos.

 

De acordo com as investigações, a clínica era gerida pelo próprio padre, que administrou sedativos para impedir que a vítima reagisse ao abuso.

 

Ao ser preso pela primeira vez, em 2014, o religioso negou o crime. Por outro lado, a Polícia Civil colheu indícios e depoimentos que comprovaram a autoria do abuso.

 

De acordo com o delegado Danilo Carvalho, responsável pela investigação, a clínica é particular e não tinha ligação com a Igreja Católica. Além disso, na época do ocorrido, o padre estava afastado de suas funções.

 

Condenação

 

A condenação do padre a 13 anos de reclusão só ocorreu cinco anos depois, em 2019, quando o religioso conseguiu recurso para responder ao crime em liberdade.

 

Em 2019, o padre foi condenado a 13 anos e 6 meses de reclusão, mas teve direito reconhecido de aguardar resultado de recurso em liberdade. Nova análise do Judiciário reduziu a pena para 9 anos, a qual tornou-se definitiva no último 12 de abril.

 

Mais Goiás

K2_PUBLISHED_IN Região

Ao tomar conhecimento de crime de Estupro ocorrido contra um adolescente praticado na noite anterior, uma equipe do Batalhão Rural 113126 deslocou até a propriedade rural no municipio de SANTA RITA DO ARAGUAIA-GO para maiores verificações acerca do fato.

 

Diante das informações recebidas, o autor, portando uma arma de fogo, teria obrigado um adolescente a ter relações sexuais com o mesmo que, segundo a vítima, o fato teria sido consumado inclusive com a conjunção carnal sem seu consentimento.

 

Após várias diligências, a equipe conseguiu localizar o autor, que foi reconhecido pela vitima, bem como a arma de fogo utilizada na grave ameaça, uma Espingarda calibre 22 com uma munição intacta, os quais foram apresentados na DP parabas devidas providências.

 

Fonte: Batalhão Rural

K2_PUBLISHED_IN Região

De acordo informações divulgadas pela 14ª DRPC, na manhã dessa terça-feira (23), policiais civis da DEAM de Jataí cumpriram mandado de prisão temporária expedido pelo Juizado de Violência Doméstica e Familiar, em face de um homem de 33 anos de idade, investigado por ter estuprado reiteradamente sua própria filha durante quase todo o ano de 2020, quando ela tinha apenas 12 anos de idade.

 

Na época, a mãe da vítima morava no interior de Mato Grosso e estava passando dificuldades. Por isso, enviou as duas filhas para morarem com o pai, que trabalhava numa fazenda entre Jataí e Rio Verde. Quando a filha mais velha completou 12 anos, ele passou a manter relações sexuais com ela.

 

Meses depois as filhas voltaram a morar com a mãe em Mato Grosso, quando, então, a vítima teve coragem de contar.

 

Para conseguir o silêncio da vítima, o autor fazia violência psicológica, dizendo a ela que se mataria caso fosse preso. Também a induzia a mentir sobre os fatos.

 

A investigação se iniciou ainda em Mato Grosso e foi concluída pela DEAM de Jataí.

 

Atualmente o autor estava morando numa chácara perto do perímetro urbano de Jataí.

 

Além do mandado de prisão, os policiais também realizaram busca e apreensão domiciliar à procura de indícios que pudessem ser úteis para a investigação.

 

Ao ser interrogado, o autor exerceu o direito ao silêncio. Nos próximos dias o inquérito será remetido ao Poder Judiciário.

 

 Plantão JTI

K2_PUBLISHED_IN Região

A Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Formosa prendeu um homem suspeito de estuprar as duas sobrinhas, de 4 e 7 anos de idade. As investigações apontam que ele também é suspeito de estuprar e engravidar a própria filha, aos 12 anos de idade.

 

O caso foi denunciado em outubro de 2020, porém, o mandado de prisão foi cumprido apenas na última sexta-feira (19).

 

O suspeito foi preso e indiciado pelo crime de estupro de vulnerável. Caso seja considerado culpado, homem pode pegar até 30 anos de prisão, pois se tratam de duas vítimas abusadas.

 

Fonte: Mais Goiás

K2_PUBLISHED_IN Estado

A Polícia Civil do Estado de Goiás, está pedindo a ajuda da população para identificar um suspeito de ter estuprado uma adolescente de 16 anos no dia 10 de novembro de 2020, por volta das 13hs, na rampa de acesso à BR-153, no Jardim Goiás, em Goiânia, local por onde passava a menor.

 

Depois da investigação feita em parceria com a Delegacia de Polícia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Goiânia, os policiais conseguiram imagens do suspeito em fuga, apesar disso, o homem ainda não foi identificado. Por isso, a Polícia Civil divulgou ás imagens pedindo a ajuda dos moradores para tentar identificar e encontrar o suspeito.

 

Crime

 

O crime que ocorreu no dia 10 de novembro de 2020, por volta das 13hs, na rampa de acesso à BR-153, no Jardim Goiás,  local por onde passava a menor de 16 anos. A adolescente foi abordada por um indivíduo desconhecido que, fez diversas ameaças e de acordo com ela agiu com bastante violência, devido a isso, a vítima acabou sendo estuprada.

 

Fonte: Dia Online

K2_PUBLISHED_IN Polícia
Página 1 de 2
Instagram Radio EldoradoTwitter Radio Eldorado

 

Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro

Real Pax