1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE
K2_DISPLAYING_ITEMS_BY_TAG Agro

Segundo o Boletim Hortigranjeiro publicado pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), no CEASA/GO, a oferta de cenoura registrou alta pelo terceiro mês consecutivo em Goiás, com aumento de 16,34% em relação ao mês anterior. O aumento nos preços pode ser explicado pelas perdas nas lavouras e pela baixa oferta nacional.

 

O CEASA/GO apresentou a segunda maior queda nos preços nacionais de cebola em março, sendo o decréscimo de -0,95% em comparação ao mês anterior e com valor de R$ 3,12/kg. A oferta de tomate registrou aumento em Goiás, porém os preços também registraram alta de 9,66% (R$ 5,45/kg). Com a proximidade do fim do verão é esperado uma maior pressão de aumento nos preços do tomate.

 

No mês de março, o segmento de frutas apresentou aumento de 11% em relação ao mês anterior, porém, em relação ao mesmo mês de 2021, nota-se uma queda de 2,2%. As vendas externas de banana em março de 2022 registraram alta de 2,15% no comparativo anual e foram inferiores em 19,39% em relação ao mês anterior, com volume de 27,84 mil toneladas exportadas. 

 

Na CEASA/GO, a quantidade comercializada de mamão subiu 50,9% e os preços registraram a maior alta nacional nos preços, com elevação de 58,27% em comparação aos valores do mês anterior, fechando o mês com valor de R$ 6,53/kg.

 

O volume de frutas frescas exportado no primeiro trimestre de 2022 foi de 257,72 mil toneladas, superior em 2,14% em relação ao mesmo período do ano anterior, com receita de US$ 224,29 milhões, alta de 0,95% no comparativo anual. As vendas brasileiras de frutas seguem positivas, podendo ser comprometidas pelo conflito entre Rússia e Ucrânia devido ao aumento dos custos de produção.

 

Comunicação Sistema Faeg/Ifag

 
K2_PUBLISHED_IN Ciência

Na produção estadual de grãos, o encerramento da safra 2020/2021, em setembro, trouxe boas notícias para culturas como soja e arroz. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), houve crescimento de 4,3% na produção da oleaginosa, que saiu de 13,2 milhões de toneladas na safra anterior para 13,7 milhões na safra 20/21.

 

No caso do arroz, o salto foi de 8,7% em produção, passando de 120,4 mil toneladas para 130,9 mil toneladas. Para o ciclo 2021/2022, a projeção é de avanço de 21,7% na produção de grãos no Estado. Ao todo, Goiás deve colher 28,9 milhões de toneladas. A Conab estima ainda variação positiva na área plantada (5,1%) e na produtividade (15,8%), na comparação com a safra 20/21.

 

Exportações

 

Outro indicador do bom momento do agro em Goiás é o das exportações. De acordo com o Ministério da Economia, de janeiro a novembro de 2021, Goiás atingiu US$ 6,7 bilhões em vendas externas de produtos do agronegócio (Valor FOB). O resultado é 10,9% maior que o do mesmo período do ano passado.

 

Em 2021 (janeiro a novembro), o complexo soja encabeçou a lista de produtos mais vendidos por Goiás (60,7%). As carnes vieram em segundo lugar (24,8%). Na terceira posição, o complexo sucroalcooleiro (5,3%). No mesmo período, a China se manteve como maior compradora de produtos goianos, seguida por Tailândia e Holanda.

 

Empregos

 

Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Previdência mostram que, de janeiro a novembro deste ano, o setor agropecuário goiano registrou crescimento na quantidade de trabalhadores formais. Foram 38.849 admissões contra 32.093 desligamentos, o que resultou num saldo de 6.756 postos (criação de novos empregos formais no campo). Atualmente, a agropecuária goiana tem 106.322 trabalhadores registrados. No fim de 2020, eram 99.566.

 

Olha Goiás

K2_PUBLISHED_IN Economia
Instagram Radio EldoradoTwitter Radio Eldorado

 

Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro

Real Pax