1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

Bomba!: Policiais Militares de Mineiros são suspeitos de praticar caça predatória no Parque Nacional das Emas

Por Eduardo Candido 25 Setembro 2012 Publicado em Mineiros
Votao
(5 votos)
Lido 5601 vezes
Carcaças de animais Carcaças de animais TV Anhaguera

A direção do Parque Nacional das Emas, em Mineiros, recebeu denúncias sobre o possível envolvimento de policiais militares na caça predatória de animas da região.

“A gente apurou essa situação, policiais caçando aqui, isso é um agravante porque essas pessoas têm de estar a serviço da lei e não praticando crimes ambientais. Abateram animais com mais de 500 metros de distância, ou seja, estavam com armas fuzis, de grosso calibre, o que nos deixa ainda mais preocupados com uso desse tipo de arma aqui”, relata o diretor do parque Marcos Cunha.

Segundo a direção, ao todo sete animais foram abatidos. Os caçadores retiraram a pele e levaram a carne dos bichos. “Está sendo um verdadeiro massacre, esses animais são únicos, alguns são ameaçados de extinção”, diz Marcos.

Para tentar inibir a ação dos criminosos os fiscais fazem rondas de carro e até mesmo a pé no meio do mato. O desafio é fiscalizar os 132 mil hectares da reserva. Em torno do parque existem várias estradas de terra onde é livre o tráfego de pessoas e carros. O problema é que os animais tem o hábito de sair da reserva para procurar alimentos em outros locais e do lado de fora eles se tornam alvos fáceis. De acordo com as denúncias, os caçadores usam armas de grosso calibre e agem até mesmo durante o dia.

O comando da Polícia Militar da cidade de Mineiros abriu um procedimento interno para investigar o possível envolvimento de policiais.

“A Polícia Militar não coaduna com este tipo de prática, com este tipo de comportamento, uma vez comprovada a participação dos policiais nessas irregularidades e comprovada procedentes essas denúncias eles serão penalizados conforme preconiza a nossa legislação vigente”, afirma o capitão Carlos Ailton de Oliveira, comandante da 7ª CIPM.

A Polícia Federal deve investigar o caso.

Fonte: G1 Goiás

Siga-nos no Twitter e no Facebook
Twitter - Facebook