1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

Estado registra segundo maior saldo de exportações de agosto

Por Eduardo Candido 05 Setembro 2012 Publicado em Economia
Votao
(0 votos)
Lido 3303 vezes
Imagem ilustrativa Imagem ilustrativa Reprodução

As exportações goianas totalizaram em agosto o montante de U$$ 577,856 milhões, o segundo melhor resultado para o mês no histórico da balança comercial goiana, só perdendo para agosto do ano passado, quando foram exportados US$ 602,5 milhões. As importações registraram o valor de US$ 486,108 milhões, ficando também atrás apenas deste mês do ano passado, que atingiu US$ 500,949 milhões. O saldo comercial, diferença entre exportações e importações, apresentou resultado positivo de US$ 91,747 milhões. Os dados foram divulgados hoje pela Secretaria de Estado de Indústria e Comércio (SIC).

“A nossa expectativa é que a gente ultrapasse o número que foi conquistado no ano passado, que a gente bata novamente o recorde no número de exportações”, projetou o secretário de Indústria e Comércio para os próximos meses. Ele vê com otimismo o resultado apresentado, lembrando que em todos os meses do ano a balança comercial goiana apresentou saldo positivo.

“Apesar da crise que afeta o mundo, especialmente a Europa, em agosto, conseguimos manter as nossas vendas no mesmo patamar do ano passado, apesar das exportações brasileiras terem recuado 14,4%”, analisa.

No mês, os principais produtos goianos exportados foram:  a soja (grãos, bagaços, óleo etc) que representou 25,8% do total, seguida das carnes (bovinas, suínas, aves e outras) que representaram 23,1%, milho (11,9%), ferroligas (7,9%), açúcar (6,6%), sulfeto de cobre (5,9%), couros e derivados (3,5%), algodão (1,8%), amianto (1,4%), outros produtos de origem animal, gelatinas e seus derivados, café, preparações alimentícias, produtos químicos orgânicos, vermiculitas, máquinas e equipamentos elétricos e mecânicos, produtos farmacêuticos e veículos.

Os principais destinos dessas mercadorias foram a China, Países Baixos (Holanda), Índia, Rússia, Taiwan, Coreia do Sul, Irã, Arábia Saudita, Japão e Hong Kong. As exportações para a China, por exemplo, representam 21,37% dos produtos goianos enviados ao exterior.

Acumulado

De janeiro a agosto, as exportações goianas atingiram US$ 4,659 bilhões, um avanço de 20,3% em relação ao ano passado. No mesmo período as exportações brasileiras recuaram 3,6%.  Já as importações goianas retrocederam 1,4% ao registrar o valor de US$ 3,459 bilhões, o que resultou  em superávit (saldo positivo) de US$ 1,199 bilhão, um crescimento de 330% em relação ao ano passado.

“Goiás tem se despontado. Mais uma vez a gente descola da média nacional. É um número extremamente positivo que faz com que a gente se sobressaia”, avalia o secretário de Estado de Indústria e Comércio.

Baldy ressaltou que as políticas públicas e de parcerias adotadas pelo Governo Marconi Perillo têm levado o Estado ao topo das estatísticas brasileiras no campo econômico. “Todas essas políticas públicas nos possibilitam alavancar as exportações: a visibilidade dos produtos brasileiros, a entrada em novos mercados e a taxa de câmbio, porque sabemos que à medida que os contratos vão vencendo, eles vão sendo renegociados em taxas atualizadas, mas isso ainda não teve o efeito total sobre as exportações”, pontua.

Hoje Goiás é destaque no Centro-Oeste, que é a região que mais cresce no País. Além do comércio internacional, somos referência na atração de investimentos, na geração de empregos, no crescimento do PIB e na produção industrial. Baldy destacou, ainda,  a participação goiana na balança comercial brasileira. “No ano passado fechamos com 2,19% de participação e este ano, até o momento, a nossa participação está em 2,9%, um aumento significativo nesse curto espaço de tempo”, finaliza.

Siga-nos no Twitter e no Facebook
Twitter - Facebook

FAMP
Produção de Spots
camara-em-destaque
Vida Nossa de Cada Dia