1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

Cristalina e Rio Verde estão entre os maiores produtores agrícolas do País

Por Lucas Silva 24 Setembro 2021 Publicado em Agricultura
Votao
(0 votos)

Rio Verde está entre os dez maiores em valor de produção (VP) no Brasil. Segundo a pesquisa de Produção Agrícola Municipal (PAM), Cristalina  aparece com R$ 3,44 bilhões e Rio Verde com R$ 3,32 bilhões, onde ocupam a sétima e a nona posição, respectivamente, no ranking nacional.

 

Os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) são referentes a 2020. Entre os estados, Goiás aparece na sexta posição em VP agrícola total e em quarto em VP de grãos. No cômputo geral, a pesquisa aponta um segundo recorde anual consecutivo do país em valor de produção, chegando a R$ 470,5 bilhões (crescimento de 30,4% em relação a 2019).

 

Principal destaque goiano, Cristalina aparece entre os dez municípios com maiores valores de produção em nada menos que seis dos itens pesquisados. Em dois deles, alho (R$ 520 milhões) e cebola (R$ 353,5 milhões), lidera os rankings. Os demais são tomate (R$ 350 milhões), em que ocupa o segundo lugar entre os municípios com maiores valores de produção; sorgo (R$ 41,8 milhões), em terceiro; batata inglesa (R$ 285 milhões), em quarto; e feijão (R$ 134,8 milhões), em sétimo.

 

No caso do sorgo, vale destacar que Goiás domina o ranking com cinco municípios entre aqueles com maiores valores de produção. O primeiro é Rio Verde (R$ 75,3 milhões). Goiatuba vem em segundo (R$ 48,4 milhões). Além de Cristalina em terceiro, a lista tem Paraúna em quarto (R$ 39 milhões) e Acreúna em nono (R$ 28 milhões).

 

Rio Verde também mostra força no milho, com o terceiro maior valor de produção (R$ 1,31 bilhão), e na soja, com o sétimo (R$ 1,63 bilhão). Ainda no caso do milho, Jataí aparece em sexto (R$ 1,03 bilhão). Quirinópolis ocupa a quinta posição no de cana-de-açúcar (R$ 539,1 milhões). Uruana está em segundo em melancia (R$ 115,2 milhões). Voltando ao alho, Água Fria de Goiás aparece na sétima posição no ranking nacional de municípios em valor de produção (R$ 38 milhões). Itapuranga ocupa a quarta posição no palmito (R$ 10,9 milhões). Já Cidade Ocidental lidera o ranking nacional de valor de produção de marmelo (R$ 1,4 milhão).

 

O desempenho do Estado no ranking de VP do girassol é ainda mais impressionante. Entre os dez maiores valores de produção, municípios goianos ocupam seis posições. O mais bem colocado, Catalão, está na quarta posição (R$ 5 milhões). Em seguida, vêm Ipameri em quinto (R$ 3,8 milhões), Piracanjuba em sexto (R$ 3,6 milhões), Caldas Novas em sétimo (R$ 3 milhões), Silvânia em oitavo (R$ 2,8 milhões) e Vianópolis em nono (R$ 2,6 mihões).

 

“Goiás mostra um desempenho robusto, com 17 municípios nos rankings de dez maiores valores de produção”, destaca o titular da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Tiago Mendonça. O secretário pontua que os dados de 2020 compilados pelo IBGE colocam Goiás como terceiro maior produtor nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas, com 26,6 milhões de toneladas, o que representa 10,4% da produção nacional.


#Com informações do Portal Goiás 

Instagram Radio EldoradoTwitter Radio Eldorado

 

Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro

Real Pax