1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

“Sou inocente, foi armação”, diz padrasto suspeito de matar Danilo

Por Antônio Filho 31 Julho 2020 Publicado em Polícia
Votao
(0 votos)
Lido 149 vezes
Reprodução Reprodução Reprodução


Reginaldo Lima Santos, padrasto do menino Danilo Sousa da Silva, de 7 anos, alegou inocência ao ser questionado por repórteres, na porta da Delegacia de Investigação de Homicídios (DIH), se foi ele quem matou o enteado. “Sou inocente, foi uma armação!”, disse. Reginaldo foi preso juntamente com o colega Hian Alves de Oliveira, suspeitos de matarem o menino.

De acordo com a Polícia Civil (PC), a motivação do assassinato foi o suposto mau comportamento do menino. Danilo desapareceu no último dia 21 de julho. Seis dias depois, um corpo foi encontrado a 100 metros da casa do garoto pelo Corpo de Bombeiros em avanço estado de decomposição. A confirmação de que o corpo era do garoto foi dada pelo Corpo de Bombeiros, incialmente, em no dia seguinte pelo Instituto Médico Legal (IML). O reconhecimento foi possível graças a coleta biométrica e o confronto dos resultados com a Carteira de Identidade do menino.


O corpo de Danilo foi enterrado na última quarta-feira (28) sob forte emoção. Uma tia do menino disse ao Mais Goiás que “a família está destruída, um tentando dar força para o outro. A mãe, coitada, só Deus para cuidar dela.” Há indícios de que o menino tenha sido afogado na lama e também tenha sofrido abuso sexual. Os peritos encontraram fragmentos de lama na cavidade oral do garoto, além de hematomas nos órgãos sexuais do menino.


Num primeiro momento, a investigação foi realizada pela Delegacia de Proteção da Criança e ao Adolescente (DPCA), por causa do desaparecimento. A delegada Ana Elisa Gomes relatou que os pais do menino foram indicados por abandono de incapaz no dia seguinte ao desaparecimento de Danilo.


Fonte: Mais Goias

 

00 A Banner WhatsAppecontatos RadioEldorado2