1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

Senado vota projeto que pode isentar igrejas de pagar ICMS por 15 anos

Por Marcelo Justo 26 Novembro 2019 Publicado em Política
Votao
(0 votos)
Lido 318 vezes
Plenário Plenário Reprodução

A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado pode votar nesta terça-feira (26/11) o projeto de lei complementar nº 55 de 2019, que autoriza os estados a isentar templos religiosos e entidades beneficentes de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) por até 15 anos.


Igrejas já têm isenção de outros impostos, como Imposto de Renda, IPTU e IPVA.


O relator da proposta, senador Irajá (PSD-TO), deu parecer pela aprovação da matéria, que ainda precisa ser apreciado pelo plenário do Senado.


O texto, de autoria da deputada Clarissa Garotinho (Pros-RJ) e já aprovado pela Câmara dos Deputados, altera a lei complementar nº 160 de 2017, que definiu prazos para os estados concederem incentivos fiscais.


Pela lei, o prazo máximo de 15 anos de isenção de ICMS vale para a agropecuária, para a agroindústria, além de investimentos em infraestrutura rodoviária, aquaviária, ferroviária, portuária, aeroportuária e de transporte urbano.


Isenção de ICMS acabou em 2018
“Chama a atenção para o fato de que o prazo máximo de vigência dos convênios que beneficiavam especificamente entidades religiosas de qualquer culto e associações beneficentes era de apenas um ano e se esgotou em 31 de dezembro de 2018.


O objetivo da proposição, portanto, é permitir que estes convênios possam ser renovados pelo prazo máximo de 15 anos, já que eles não possuem qualquer relação com a guerra fiscal entre estados”, informou o senador no relatório.


A guerra fiscal começou por meio da concessão de incentivos fiscais e tributários pelos estados para estimular empresas a se instalar naquelas localidades.


Entretanto, a lei complementar nº 24 de 1975 criou o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) e determinou que as decisões sobre concessão de incentivos desse tipo devem ser unânimes.


O conselho reúne todos os secretários de Fazenda estaduais e do Distrito Federal.


Igrejas já têm isenções de outros impostos
As igrejas são isentas de pagar Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), Imposto de Renda sobre o que arrecadam em dízimo, Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) sobre os veículos que possuem e Imposto Sobre Serviços (ISS).


Desde a Constituição de 1988, a União, os estados, o Distrito Federal e os municípios são proibidos de instituir impostos sobre templos de qualquer culto.


Fonte: Uol (com adaptações)

00 A Banner WhatsAppecontatos RadioEldorado2