1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

Ronaldo Caiado faz balanço dos 100 dias de governo e cita economia com corte de incentivos fiscais e redução de gastos

Por Marcelo Justo 10 Abril 2019 Publicado em Política
Votao
(0 votos)
Lido 804 vezes
Ronaldo Caiado (DEM) Ronaldo Caiado (DEM) Reprodução/Tv Anhanguera

O governador de Goiás Ronaldo Caiado (DEM) fez nesta quarta-feira (10/04) um balanço dos seus 100 dias à frente do Executivo.


Na apresentação, ele destacou que já fez uma economia de R$ 1 bilhão com corte de incentivos fiscais e afirmou que reduziu em 20% os gastos do estado em diversas áreas da administração.


Outra vez, Caiado, ao falar sobre economia, disse que herdou o estado com várias dificuldades, entre elas, um déficit de R$ 4 bilhões. O governador afirmou, porém, que tem um compromisso de melhorar a situação.


“Hoje não é dia de festa, é dia de compromisso. Chegamos a essa data bem, de cabeça erguida. Pegamos o estado com uma crise financeira e falência dos serviços públicos”, declarou.


Ronaldo Caiado destacou que ainda aguarda o melhor momento para apresentar o projeto de reforma administrativa, que prevê a redução de gastos da máquina pública.


Além disso, espera que o governo federal vote nos próximos dias o Plano de Equilíbrio Fiscal (PEF), para que o estado possa pedir empréstimos.


Ele também pontuou o combate à corrupção, mencionando a implantação de um sistema que permite a verificação dos contratos públicos antes deles serem assinados, evitando assim possibilidades de desvio de verbas.


Nesta manhã, Caiado também assinou dois decretos, criando um novo código de ética para os servidores públicos e proibindo o uso da foto do governador em repartições públicas.


No lugar deve ser colocado a bandeira do estado.


O jornal "O Globo" avaliou os 100 dias de mandato do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e de dez governadores, entre eles, Caiado.


Greve na Educação
Caiado foi questionado sobre os pagamentos de salários atrasados de dezembro para os servidores, inclusive daqueles da área de Educação, que estão em greve desde o dia 3 abril.


Ele garantiu que irá quitar as pendências, mas, pediu compreensão.


“[Aos professores em greve] Eu peço que reflitam. Estamos fazendo o possível para pagar a todos. Mas nossas crianças não podem ser prejudicadas”, afirmou.


Problemas no HMI
Caiado destacou na apresentação que vai melhorar setores como a saúde, abrindo vagas no Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) para atender a área de pediatria.


O intuito é desafogar Hospital Materno Infantil (HMI), o qual vive uma situação de superlotação, que obriga crianças a ficarem internadas em cadeiras nos corredores.


Um garoto de 5 anos morreu nessa situação à espera de atendimento.


“O Hospital Materno Infantil estava quase fechando. Os servidores faziam vaquinha para comprar medicamentos. Mesmo sendo uma Organização Social (OS), vamos garantir o atendimento de crianças na UTI e centro cirúrgico da unidade”, informou.


Fonte: G1 Goiás (com adaptações)

00 A Banner WhatsAppecontatos RadioEldorado1