1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

Profissionais da rede estadual de ensino decidem por paralisação em Goiás; Terça (22) e quarta (23) sem aula

Por Marcelo Justo 22 Janeiro 2019 Publicado em Estado
Votao
(0 votos)
Bia de Lima Bia de Lima Reprodução/Sintego

Em assembleia Unificada do Fórum em Defesa dos Servidores Públicos de Goiás realizada nesta segunda-feira (21/01), no Palácio Pedro Ludovico, em Goiânia, ficou definido que os professores e profissionais da rede Estadual de Educação ficarão paralisados até quarta (23), quando o governo deverá dar uma resposta definitiva sobre o pagamento do salário de dezembro de 2018, em mais uma rodada de negociações.


Durante a assembleia, uma comissão do Fórum foi convidada a dialogar com o secretário de Governo, Ernesto Roller, que mais uma vez, insistiu na proposta de parcelamento dos salários de dezembro.


Uma última proposta dos representantes sindicais foi apresentada ao governo, que seja efetuado o pagamento dos salários de dezembro, em fevereiro e encerrar o dilema.


Porém, o governo estadual pediu um dia para estudar a proposta e marcou para quarta-feira (23), uma nova reunião em que será dito sim ou não para os servidores estaduais.


Até lá, os trabalhadores da educação optaram por ficarem paralisados e mobilizados, com assembleias e reuniões regionais e locais, para discutir, com a comunidade escolar, a situação.


Segundo informou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego) de Mineiros, professor Coriolano Ferreira, nesta terça (22) e quarta (23) não haverá aula na rede estadual de ensino. Ouça áudio abaixo.


De acordo com o resultado que o governo apresentar na quarta-feira, uma assembleia específica da Educação será convocada, com o indicativo de greve, se não houver a sensibilidade do governo para de fato resolver o problema do ano de 2018.


"A grande maioria da nossa categoria continua com problemas já que não recebeu o salário, 13º, férias, auxílio-alimentação, não recebeu o Bônus Reconhecer, a falta de professores, motivos pelo quais o Sintego chamou está paralisação até quarta-feira (23), com uma nova assembleia a partir do resultado da próxima audiência. Todas as regionais do Sintego vão fazer manifestações e atividades localizadas nos quatro cantos de Goiás", afirmou a presidente do Sintego e coordenadora do Fórum, Bia de Lima.


"O governo é quem sabe se quer apenas uma paralisação, ou se quer greve geral. Diante das ações do governo é que vamos saber como agir. Vamos fazer outros atos, vamos trabalhar para que o governo compreenda em definitivo que nós só queremos uma única coisa: o pagamento do salário de dezembro de 2018", afirmou Bia de Lima.

00 A Banner WhatsAppecontatos RadioEldorado1

Mídia