1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

Alimentos da cesta básica estão mais caros em 16 capitais, aponta Dieese

Por Marcelo Justo 08 Dezembro 2018 Publicado em Brasil
Votao
(0 votos)
Lido 283 vezes
Imagem ilustrativa Imagem ilustrativa Reprodução/Agência do Rádio

O valor dos alimentos da cesta básica aumentou em 16 das 18 capitais brasileiras pesquisadas pelo Dieese, que é o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos.


A cesta mais cara foi registrada em São Paulo (R$ 471,37). Logo em seguida, vem a de Porto Alegre (R$ 463,09), Rio de Janeiro (R$ 460,24) e Florianópolis (R$ 454,87).


Segundo a supervisora de preços do Dieese, Patrícia Lino Costa, existe uma pequena diferença nos itens que são pesquisados, que faz com que as cestas das capitais do Centro-Oeste, Sudeste e Sul do país sejam mais caras do que as cestas do Norte e do Nordeste.


“No Centro-Oeste, Sudeste e no Sul, a quantidade de carne é maior do que a quantidade de carne do Norte e Nordeste. Esta é uma composição que vem com base no decreto onde a gente usa como base para calcular a cesta e também no Norte e Nordeste nós não pesquisamos a batata. Também no Nordeste nós pesquisamos farinha de mandioca e nas regiões Centro-Sul a gente pesquisa a farinha de trigo”.


Os alimentos que apresentaram alta na maior parte das capitais pesquisadas de outubro a novembro deste ano foram: o tomate, a batata, o óleo de soja, o pão francês e a carne bovina de primeira. Já o leite integral teve queda de preços em 16 capitais.


O Dieese calculou o salário mínimo ideal em novembro, baseado na cesta mais cara, que foi a de São Paulo.


O valor mínimo mensal necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria ser de R$ 3.959,98.


Esse valor é equivalente a mais de 4 salários mínimos de R$ 954. Ouça áudio abaixo.


Rádio Eldorado, com informações da Agência do Rádio

00 A Banner WhatsAppecontatos RadioEldorado1