1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

Estudo mostra o fácil acesso de adolescentes aos cigarros no Brasil

Por Marcelo Justo 28 Novembro 2018 Publicado em Brasil
Votao
(0 votos)
Lido 344 vezes
Imagem ilustrativa Imagem ilustrativa Reprodução/TV Globo

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) divulgou, nesta terça-feira (27/11), um estudo que denuncia a facilidade do acesso de adolescentes aos cigarros, mesmo com a venda proibida pra menores de idade.


Em uma familia, a história se repete. Lilian começou a fumar com 15 anos e agora vê a filha de 17 indo pro mesmo caminho.


“Eu orientei ela sobre isso tudo. Perdi um pai com câncer por causa do cigarro”, diz a mãe. A adolescente fumou o primeiro cigarro aos 14 anos. E é ela mesma quem compra.


Repórter:  Você já teve alguma vez, alguma dificuldade para comprar cigarro?


Jovem:  Não. Nenhuma.


Ela é só um exemplo do que acontece no país, apesar de uma lei que deveria ajudar a manter os jovens longe do cigarro.


A venda de cigarros para menores de 18 anos é proibida, mas, na prática, a lei não impede que esses adolescentes comprem cigarros - e até com facilidade, em padarias, botequins, bancas de jornais.


No comércio, não existem barreiras para evitar que os brasileiros se tornem fumantes desde cedo.


Um estudo do Inca aponta que o acesso fácil pode ter contribuído para reverter uma tendência.


A proporção de jovens e adolescentes fumantes no país, que vinha caindo, passou a subir.


O estudo levou em conta uma pesquisa feita com estudantes de 13 a 17 anos.


E o que eles disseram é alarmante: cerca de nove em cada dez adolescentes fumantes que tentaram comprar cigarros, conseguiram.


E entre os que compraram regularmente, cerca de oito em cada dez, adquiriram no comércio formal.


Nas lojas, bancas, cigarro tem lugar de destaque. Muitas vezes, os maços ficam perto de doces, balas. E até parecem inofensivos.


"A gente tem ainda maços com aditivos que conferem sabor e aroma ao cigarro. A gente ainda tem um produto muito barato, tanto o ilegal como o legal. Então, esse conjunto de fatores faz com que o adolescente seja estimulado a tentar comprar e assim, quando for tentar comprar, ele vai conseguir", diz o pesquisador do Inca André Szklo.


Falta fiscalização e falta também deixar claro no comércio que cigarro não pode ser vendido para menor de idade.


“A própria sociedade não tem consciência da própria existência da lei. Então, assim como existe para o álcool, em que nos estabelecimentos comerciais existem os cartazes informando a proibição da venda do álcool a menores, isso também precisa ser feito pro cigarro”, afirma Ana Cristina Pinho, diretora geral do Inca.


A Lilian sabe como é difícil largar o vício e não quer o mesmo para a filha.


"Fico triste porque sei dos males que o cigarro causa. Quanto mais o tempo passa, fica mais difícil de largar o cigarro".


Fonte: Jornal Nacional/Tv Globo (com adaptações)

00 A Banner WhatsAppecontatos RadioEldorado1