1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

Prévia da inflação de junho é a maior variação para o mês desde 1995

Por Marcelo Justo 21 Junho 2018 Publicado em Economia
Votao
(0 votos)
Imagem ilustrativa Imagem ilustrativa Reprodução

A prévia da inflação oficial do país, o IPCA-15, divulgado pelo IBGE nesta quinta-feira (21/06), acelerou de 0,14% em maio para 1,11% em junho.


Esta é a maior variação para o mês desde 1995, quando o índice registrou 2,35%.


As principais influências para a alta no resultado foram dadas pelos grupos de Alimentação e bebidas, com aumento de 1,57%, Habitação, 1,74% e Transportes, 1,95%.


Para o economista e ex-presidente do Conselho Federal de Economia, o Cofecon, Paulo Dantas da Costa, esse resultado não chega a surpreender.


“Considerando que o movimento dos caminhoneiros, de fato, teve um impacto econômico, uma repercussão econômica significativa e o resultado disso desaguaram na questão dos preços aqui no Brasil. Outro detalhe diz a respeito aos alimentos, que sempre influenciam a formação e a construção dos índices do preço no Brasil. Especificamente nesse caso e aliado ao detalhe do movimento dos caminhoneiros, uma coisa somou a outra e o resultado foi esse índice”.


De acordo com o IBGE, a alta nos preços atingiu alimentos como a batata inglesa (45,12%), a cebola (19,95%), o tomate (14,15%), o leite longa vida (5,59%), além de carnes (2,35%) e frutas (2,03%).


Já os combustíveis subiram 5,94% em junho, puxados principalmente pela gasolina (6,98%). O item foi responsável pelo maior impacto individual no índice, que representou 28% do IPCA-15 de junho.


O IBGE também mostrou que, no grupo de Habitação, a prévia de inflação foi definida pela energia elétrica, com aumento de 5,44%.


Também houve reajuste nas tarifas em Belo Horizonte, Recife, Salvador, Fortaleza e Porto Alegre.


O economista Paulo Dantas explica que esse tipo de preço que não depende nem de oferta, nem de demanda - e que é definido por contrato ou órgão público - costuma ser mais alto.


“A questão da energia elétrica também é um aspecto interessante porque é um preço administrado e os preços administrados no Brasil estão sempre um nível a cima dos demais preços da economia”.


As 11 regiões pesquisadas registraram aceleração dos preços de maio para junho, sendo que a região metropolitana de Belo Horizonte mostrou o maior resultado, de 1,37%.


Já as regiões de Belém e Recife, registraram índices abaixo da média para o país, com 0,76% e 0,95%, respectivamente. Ouça áudio abaixo.


Rádio Eldorado, com informações da Agência do Rádio

00 A Banner WhatsAppecontatos RadioEldorado1

Mídia