1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

Casal que espancou criança até a morte tem prisão preventiva decretada, em Goiás

Por Marcelo Justo 07 Março 2018 Publicado em Região
Votao
(0 votos)
Lido 547 vezes
Luana Alves x Wesley Messias Luana Alves x Wesley Messias Reprodução/Mais Goiás

O juiz de Direito José Augusto de Melo Silva converteu a prisão em flagrante de Luana Alves de Oliveira e Wesley Messias de Sousa em preventiva durante audiência de custódia realizada na tarde desta terça-feira (06/03) no Fórum de Santo Antônio do Descoberto, cidade do Entorno do Distrito Federal.


O casal confessou ter espancado até a morte o pequeno Henzo Gabriel, de 2 anos e 8 meses.


Em sua decisão, o juiz justificou, além da possibilidade de fuga dos acusados, a gravidade do crime.


“Entendo ser necessária a conversão dos flagrantes em preventivas, isto porque, o crime em tese cometido pelos acusados se reveste de extrema gravidade, pois for cometido utilizando-se da convivência familiar entre eles e a vítima, bem como pelo fato de ser a vítima criança, o que evidencia o alto grau de periculosidade dos autuados”, considerou o magistrado.


Entenda o caso
O casal foi preso em flagrante na segunda-feira (05) e foi autuado por homicídio qualificado por motivo torpe.


Segundo a Polícia Civil (PC), a mãe biológica de Henzo, Luana Alves, teria se irritado pelo fato de a criança estar chorando na sala. Levada ao quarto, onde o casal já havia se deitado, a criança teria sido agredida a socos e pisões por Luana. Wesley Messias, padrasto de Henzo, também teria agredido o menino da mesma forma.


Depois das agressões, a criança teria sido levada de volta para a sala e Sylon Messias de Souza, pai de Wesley, ao passar pelo local, notou que o menino estava imóvel e sem qualquer sinal de temperatura corporal. Diante disso, ele alertou o casal.


Luana então levou a criança até o hospital do município, mas Henzo deu entrada no centro de saúde já sem vida.


Após ter atestado o óbito, o médico plantonista constatou os sinais de violência física e contatou a Polícia Militar (PM).


Ao chegar no hospital, os policiais militares entrevistaram Luana, que de início acusou Wesley de ser o autor das agressões contra seu filho.


Levados à delegacia, Wesley e Luana confessaram o homicídio, e ambos relataram ao delegado que desferiram socos, pisões e chutes contra o corpo da criança.


Wesley foi levado à Unidade Prisional de Santo Antônio do Descoberto e Luana para a carceragem da Delegacia de Santo Antônio do Descoberto.


Porém, com a prisão preventiva decretada, Luana será transferida para a Unidade Prisional de Luziânia.


Fonte: Mais Goiás (com adaptações)

00 A Banner WhatsAppecontatos RadioEldorado1