1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

Quatro suspeitos de planejar explosão de bancos são mortos em troca de tiros com a CPE, em Goiás

Por Marcelo Justo 12 Fevereiro 2018 Publicado em Região
Votao
(0 votos)
Lido 623 vezes
Armas apreendidas Armas apreendidas Reprodução/TV Anhanguera

Neste domingo (11/02), quatro homens foram mortos durante uma troca de tiros com policiais militares da Companhia de Policiamento Especializado (CPE), em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital.


De acordo com a Polícia Militar (PM), o grupo planejava explodir agências bancárias da região e já tinha várias passagens por outros crimes. Na residência onde eles estavam, várias armas, incluindo fuzis, foram apreendidos.


Segundo o major Munildo Gonçalves de Miranda, a polícia recebeu uma denúncia sobre a existência do grupo e conseguiu descobrir onde ele se escondia, no Setor Parque das Nações.


"Fizemos a abordagem, mas, os indivíduos estavam fortemente armados e começaram a disparar. Nós então revidamos", revelou.


Ainda conforme o major, todos tentaram fugir pulando muros. Quatro foram atingidos pelos disparos. O resgate chegou a ser acionado, mas eles não resistiram e morreram nas proximidades.


Outro integrante acabou se rendendo e foi capturado. Conforme a PM, ele é foragido da Justiça do Maranhão.


Na residência, foram encontrados dois fuzis, uma espingarda, uma pistola, munições variadas, além de quatro coletes à prova de balas. Uma caminhonete, roubada no dia 1º de fevereiro último, também estava no local.


O major afirmou que todos possuem extensa ficha criminal. "Eles têm passagens por vários crimes, como latrocínio [roubo com resultado morte], roubo qualificado, tráfico de drogas e posse ilegal de armas", enumerou.


O Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) esteve no local. Um inquérito será instaurado para apurar as cirscunstâncias do fato.


"Foi realizada a perícia e tudo leva a crer que trata-se de uma ação legítima dos policiais, que eles agiram em legítima defesa. Ficando comprovado isso, a gente pede o arquivamento", pontuou o delegado Eduardo Rodovalho, responsável pelo caso.


Fonte: G1 Goiás (com adaptações)

00 A Banner WhatsAppecontatos RadioEldorado1