1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

Mãe de primeira viagem: os 6 principais gastos no primeiro ano do bebê, por Luciana Cattonny

Por Marcelo Justo 08 Maio 2016 Publicado em Curiosidades
Votao
(0 votos)
Lido 566 vezes
Imagem ilustrativa Imagem ilustrativa Shutterstock

Se você vai ser mãe pela primeira vez, deve estar super feliz e na contagem regressiva para a chegada do bebê.


Para que você possa desfrutar ainda mais desse momento tão especial, o melhor é estar preparada para evitar sustos e imprevistos com as despesas que surgirão.


Conheça os principais gastos no primeiro ano de vida da criança e confira as dicas de Luciana Cattonny, publicitária e fundadora do site Real Maternidade.

 
-Fraldas
Cada bebê é único e a quantidade de fraldas necessária pode variar bastante. No entanto, em média, são usadas de 8 a 10 por dia até os 2 meses de idade, de 6 a 8 diariamente dos 3 aos 6 meses e cerca de 6 por dia entre os 6 meses e 1 ano de idade.


Os preços variam muito, por isso uma boa pesquisa é fundamental. Um “chá de fraldas” pode ajudar você a economizar – e muito. Uma dica é não pedir muitas embalagens nos tamanhos P ou PP, e sim focar nas M e G. “Você não sabe o tamanho que o bebê vai nascer. Você vai ter que fazer um ‘test drive’ da fralda, ver qual veste melhor, qual não vaza tanto”, alerta Luciana.


Em vez das versões descartáveis, algumas mães preferem as fraldas ecológicas, que têm como vantagem, além da economia, a preservação do meio ambiente.


- Alimentação
“No primeiro ano de vida, é legal incentivar a amamentação”, afirma Luciana, lembrando, porém, que nem todas as mães podem amamentar. Alguns bebês podem ter alergia ao leite materno ou mesmo dificuldades na amamentação. Além disso, muitas mães acabam não tendo tempo ou mesmo leite suficiente para amamentar e precisam recorrer a fórmulas infantis.


Se você não puder dar leite materno ao seu filho, pesquise e compare os preços de fórmulas em diferentes supermercados, farmácias e lojas de produtos para crianças. De tempos em tempos, refaça essa pesquisa e fique atenta a promoções – mas sempre de acordo com a orientação do pediatra.


Se puder fazer papinhas em casa, também irá economizar – além de poder acrescentar na receita um ingrediente especial: o amor de mãe.


-Equipamentos
Ao providenciar equipamentos, como carrinho de bebê e cadeirinha de alimentação, é muito importante prestar atenção à segurança e ao conforto enquanto você procura um preço bacana.


“Ao comprar um carrinho de bebê, faça um teste. Veja se cabe no porta-malas, por exemplo”, sugere Luciana. Se for adquirir um usado, certifique-se de que esteja em bom estado e com os itens de segurança em ordem.


Ao pensar nos móveis para o quarto do bebê, vale dar uma olhada nos mais neutros. “Quando o bebê crescer, eles poderão ser aproveitados por mais tempo”. Se você faz questão de que seu filho tenha um quarto bem colorido, pode concentrar nas cores dos enfeites. Mas tudo depende de cada caso: pois se você sempre sonhou com um quartinho com móveis coloridos, banheira e cadeirinha cheias de cor, vá em frente – saiba apenas que você talvez terá que gastar com um novo quarto quando o seu filho deixar de ser um bebê.


- Roupinhas    
Comprar roupas de bebê pode ser uma verdadeira tentação para as mamães, ainda mais para as de primeira viagem – mas contenha o impulso. “O bebê usa as roupas por muito pouco tempo”, explica Luciana.


Não é preciso comprar várias peças de uma vez. “Compre na medida em que o bebê for precisando”, recomenda. Geralmente, as mães ganham muitas roupas de presente.


Antes de o bebê nascer, leve em consideração em qual época do ano será o nascimento, para que você possa comprar as roupas apropriadas de acordo com as condições climáticas.


Uma alternativa para economizar é comprar as roupinhas em brechós, sejam físicos ou online, dá para conseguir muitas peças novinhas por um preço justo. Você também pode adquiri-las em brechós de grupos de WhatsApp. Outro atrativo nesses grupos é a agilidade. O que também pode ajudar a economizar é fazer a lavagem à mão para que elas durem mais.


-Brinquedos
Nem sempre os brinquedos mais caros são os que mais agradam os bebês. Às vezes, um simples objeto o agrada e o distrai muito mais. “O importante é que o brinquedo seja estimulante”, diz Luciana. Então, não é necessário gastar rios de dinheiro. Veja algumas dicas de brinquedos divertidos e baratos nesta matéria.


-Creche/babá
“Quando a mãe tem alguém da família com quem deixar os filhos, isso é ótimo e ela economiza”, afirma Luciana. Porém, nem todas contam com essa vantagem e precisam colocar os pequenos em creches, escolinhas ou recorrer a uma babá.


A escolha de onde ou com quem deixar a criança é de grande importância e você deve avaliar não apenas o quanto vai gastar, mas também a qualidade e a segurança de sua opção, além da proximidade da sua casa.


Luciana Cattonny
Publicitária e fundadora do site Real Maternidade

000-A-Banner WhatsAppecontatos-RadioEldorado

FAMP
Produção de Spots
camara-em-destaque
Vida Nossa de Cada Dia